Paraplégica aos 27, Catarina quer mudar a forma como vemos as mulheres com deficiência
A nutricionista não se deixou abater pela condição. Hoje viaja pelo País a lutar por um mundo mais acessível e justo.

Deveria ter sido uma viagem inesquecível. No Natal de 2016, Catarina Oliveira apanhou uma avião rumo ao Rio de Janeiro para visitar uma amiga. Uma dor nas costas fez-lhe companhia durante os primeiros dias, até que a levou mesmo ao hospital. Uma semana depois, estava internada e avisavam-na de que poderia nunca mais voltar a andar.

Seis anos depois, a portuense encara a transformação radical na sua vida como algo natural, sem lamentos ou tempo sequer para calcular as probabilidades de ter sofrido de uma mielite transversa. Hoje assume-se como uma pessoa com deficiência que luta por um mundo mais justo, mais acessível. Por isso, transformou-se em ativista e consultora pela acessibilidade e representação — profissão que conjuga com a de nutricionista.

É também nesse papel reivindicativo que aceitou o convite de Dai Moraes, a fotógrafa por detrás do projeto +MULHER. A abordagem aconteceu através do Instagram, onde Catarina se identifica como Espécie Rara Sobre Rodas e tem já mais de 34 mil seguidores.

Leia o artigo completo.

21/09/2022 às 10:51

Jornalista

Daniel Vidal

Imagem

Joana Mouta

Editor

Joana Mouta