O Malice não é italiano, mas o forno de onde saem as pizzas veio de Itália
O novo restaurante da capital tem até almôndegas e lasanhas, mas quer afastar-se de rótulos. "É o que faltava no Príncipe Real."

O nome surgiu de duas avós que se chamavam Maria Alice e da malícia do dono que quis brincar com elas. É um restaurante, mas a música faz-se ouvir a vários metros de distância. O odor que a acompanha denuncia o que está a sair do forno e a animação à porta conta o resto. Está feita uma breve apresentação do mais recente restaurante da capital.

“Pizza from heaven, cocktails from hell.” Por outras palavras, bem mais assertivas, é assim que o Malice se anuncia ao público. O novo restaurante, localizado no Príncipe Real, promete pizzas deliciosas ao som de boa música e energia. Um local imperdível para quem caminha pelas ruas de Lisboa. Se pensa que se trata de “mais um italiano” não podia estar mais enganado.

Ali foge-se de rótulos e etiquetas. “Apesar de o menu ser maioritariamente italiano, não nos identificamos como tal. Fazemos pizzas (desde 13€), almôndegas (7€), lasanha (14€), também. Mas não queremos estar presos a uma identidade. Amanhã, se quisermos, metemos uma muxama de atum. Queremos um bocadinho de liberdade. É mais ou menos este o conceito”, começa por explicar Jorge Marques à NiT. E ele bem sabe do que fala.

Leia aqui o artigo completo.

15/09/2023 às 09:30